sábado, 19 de março de 2011

Repercussões....

....Muito obrigada pelos 1.500 seguidores!
    Não consigo encontrar palavras para expressar a minha gratidão, mas ver todo esse reconhecimento só me estimula mais a postar (mesmo que ande sem muitas ideias e tempo ultimamente)...
    Mudando de assunto, semana passada, a reforma da minha casa esteve na mídia mais uma vez, uma matéria bem completa, adorei!
    Leia aqui!
   E no dia seguinte, Olivia e eu saimos no jornal! hehehe A matéria on line está aqui!

    A matéria da Folha não tem nada a ver com o blog mas foi por meio dele que eu fui "achada". E aí que a matéria é sobre comportamento e eu, dona desse blog, estou me reservando o direito de estender um pouco mais esse assunto para expressar a minha opinião. Lembro que o intuito desse post (e muito menos desse blog) é causar polêmica! Mas...

    Uso sim, a mochila com guia para sair com a minha filha. Uso quando saimos a pé, eu e ela. Coloco a mochila nela, passo a guia no meu pulso e andamos de mãos dadas. Não levo a minha filha para passear como alguns pensam e como a foto do jornal pode ter dado a entender (foi uma foto produzida, onde fizemos várias tentativas com a Olivia correndo na direção da fotógrafa).
    Vejo a mochila-coleira como um equipamento de segurança, afim de garantir a integridade física da minha filha e ter a possibilidade de, momentaneamente, soltar a mão dela para poder pegar alguma coisa dentro da bolsa ou coisa assim...
    Além do que, posso dar um pouco mais de liberdade à minha filha, como foi o caso do nosso passeio no Zoológico de Buenos Aires, que mostrei aqui.
    Na linha do "falta de afetividade", enveredando por essa seara, não deveriamos então também condenar os carrinhos de bebê? Afinal, é também uma comodidade para os pais que poderiam muito bem carregar os seus filhos no colo, não? (Se não está entendendo essa parte, peço que leia a matéria).
    Bom, enfim, sou da opinião de que cada um sabe onde lhe aperta o sapato, então ao invés de criticar vamos respeitar (pelo menos, eu vou!).
    E vou continuar a mochila-coleira enquanto eu achar necessário...

Bj

20 comentários:

Renata disse...

Oi Larissa!
Li a matéria. Mas já li sobre um assunto parecido há mais de um ano. No começo achei estranho, mas hoje dia acho bem prático. Acho essa idéia de "coleira" interessante para pais que levam os filhos ao shopping lotado, supermercado, à shows... a lugares em que há uma grande concentração de pessoas e que fica fácil "perder" a criança. Acho muito mais traumatizante uma criança se perder dos pais, chorar desesperada, cair nas mãos de quem não conhece, do que usar uma mochila-coleira, ou mesmo até uma pulseira-coleira.
Aliás, sua filha Olívia, é muito fofa!
Beijos, Renata
palpitandoemtudo

Coisas de Manuh disse...

Oi larissa! Amei sua casa ficou muito linda, um sonho, q Deus continue te abençoando.
bjo

Nanda Piena disse...

Olá!Larissa,primeiro quero te agradecer a opinião sobre a cor que vc deu no meu blog outro dia1

Quanto as coleiras infantis, confesso que tinha muito preconceito e até achava absurdo,porém ando revendo meus conceitos, diante de tantos perigos e "coisas feias"(crimes,acidentes) que vemos por aí, acho que é um caso para se repensar!

Nanda Piena disse...

Ah! Acho a pulseira "coleira" mais prática e discreta tb!

Paty disse...

oi Larissa...
parabéns pelos 1500 seguidores!
li a matéria da sua casa que é uma fofura só e tbm da coleira...
a primeira vez que vi uma criança de mais ou menos 2 anos de "coleira" foi em um aeroporto na Europa e achei estranhíssimo, por acaso eu e a mãe (que estava sozinha com o bebê vindo para o Brasil) pegamos o mesmo voo e percebi que isso estaria a ajudando, pois imagina uma mãe sozinha em aeroportos imensos com um bebê que não parava um segundo (isso em 2005)... mas depois parei pensei e vi que é super util (fazia uns 2 meses que minha filha, na época com 3 anos escapou de mim em uma praça de alimentação e sumiu... imagina a cena...
Não condeno e acho absurdo as palavras da psicologa... tenho certeza que antes a coleira do que se perder na multidão... pois criança desaparece em segundos... é vc olhar para o lado e puff!!
Meu filho está com 18 meses e certamente, se eu precisar fazer uma viagem, ou algum passeio mais aglomerado vou usar tranquilamente, sem neuras...
um gde beijo mulher!!!
e parabéns mais uma vez
Paty

Sol Ribeiro disse...

Oi Larissa eu li a matéria e me fez lembrar da vez que meu filho com 3 anos (hj tem 19 anos) se perdeu no Carrefour Sorocaba. Só tenho esse filho mas hj se tivesse outro com certeza usaria desse artifício. Ele era totalmente inquieto, qdo ia as compras ele sempre corria na frente qdo lembrava de alguma prateleira com produto que chamava a atenção dele e numa dessas adiantadas, fim de ano, corredores lotado, de repente cadê o Rafael? Foi um desespero horrivel, uma angustia que não desejo pra ninguem. Meu marido correu no balcão de informações e eu fiquei igual barata tonta correndo pelos corredores. Pra vc ter idéia nesse intervalo de tempo foi anunciado o meu nome e do meu filho que já encontrava-se com uma funcionária do Carrefour e eu não ouvi. Por coincidência minha irmã tb estava no hipermercado ouviu e correu no atendimento e o meu desespero me impediu até de ouvir.

Fernanda M disse...

Primeiro quero dizer que sua casa está linda e inspiradora!! Parabéns!!

Segundo, quando eu tiver alguns "filhotinhos" certamente farei como você, usarei a mochila com guia!! Acho o máximo e super útil!! Minha sobrinha já nos deu um susto enorme em um shopping... certamente se ela estivesse com uma destas mochilas isto não teria acontecido!!

Você está de PARABÉNS duplo!! rsrs...

Como você disse: "cada um sabe onde lhe aperta o sapato". Vivamos sem nos preocupar com a opinião alheia!! rsrs..

Bjocas

Elaine Canha disse...

Usaria com tranquilidade. É claro que vou preferir andar de mãos dadas com meu pimpolho, mas numa distração teremos uma segurança a mais.

Beijos

Flavinha Gomes disse...

Larissa, cansei de ver essas "coleiras" na Europa, em grandes cidades como Londres e Paris. É prático e comum. Melhor do que aqueles pais que deixam seus filhos soltos em mercados, shopings, ruas, depois ficam chorando atrás deles. Não liga pra essa gente atrasada não... não vale a pena.
Bjka

Cris Araujo disse...

Oi Larissa!

Que lindo seu blog! Passei aqui para te parabenizar pelas materias e pela sua casa que é simplesmente linda!

beijo grande,
Arq. Cris Araujo
http://vistaacasa.blogspot.com/

Lica disse...

Eu já usei um modelo parecido, só que não era mochila e sim um colete com asas de anjinho, lá no Japão se usa muito este acessório como uma forma de segurança para pais e filhos, quando voltei do japão eu usei o colete no aeroporto, pois desta forma ficava mais segura. Não vejo nada de mais em querer proteger seu filho.

Bjão

Eli disse...

Sua casa é realmente inspiradora! Parabéns! Olha acho que educar um filho é tarefa muito difícil, hoje em dia então, mais ainda. Atualmente todo mundo fica se metendo na forma como os pais querem educar seus filhos, todo mundo quer dar palpite, dizer o que é certo ou errado, condenar, criticar, até o Poder Legislativo está querendo meter o bedelho! Não vejo nada demais na mochila, não tem nada a ver com coleira, não acho de forma alguma que possa causar qualquer tipo de trauma na criança. É fácil falar que a mãe tem que ter voz ativa com o filho e que isso deve bastar, difícil é controlar a energia que essas crianças têm hoje em dia e a personalidade forte que muitas já nascem, aliado aos inúmeros perigos da voda moderna. Cada um deve tratar de educar sua prole da maneira que entender melhor. O que prejudica o desenvolvimento de uma criança é falta de amor, de cuidado, de atenção, de carinho, de limites. Vemos todos os dias uma juventude perdida e crianças indo no mesmo rumo por conta disso, da ausência do que realmente importa. Continue usando a mochila em sua filha se ela funciona com vocês, você é mãe e sabe melhor do que qualquer um o que faz bem ou não a ela. Quando eu tiver os meus, se achar necessário também usarei. Beijos pra você e para a linda Olivia.

Micha Descontrolada disse...

parabéns pelos 1500 seguidores e pelas reportagens, o blog é mara!!!

e esse povo q condena um acessório de cuidado, deveria condenar aquelas mães q largam os filhos sozinhos em casa, pela rua e por aí vai...falta do q fazer.

Uma ótima semana para você!!!

/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................

Patrícia disse...

Esses dias estava pensando em algo assim para usar em Orlando, principalmente em momentos de compras. Meu filho mais novo tem 3 anos, adora correr, não para fugir, más para brincar com o irmão mais velho de 7 e aí, se perder em uma aglomeração, é fácil, fácil.
Temos filhos, cuidamos, damos colo, amor,carinho,atenção, nossos sábados de sol, domingos, noites de seno,férias,acredito que essa psicóloga Rosely Saião, não tenha filhos, pois então entenderia uma mãe que não tem tempo nem de comprar calcinhas. Somos mãe sim, com orgulho, amor e dedicação, más também somos profissionais, esposas, e seres humanos, que comem, se vestem e porque não, fazem compras.
Me perdoe Larissa, más acho que já temos uma "certa intimidade" para eu me indignar aqui ok?!
Gente atrasada, como falaram em um comentário anterior.
Bjs minha querida
Bj
Patricia
patipins.blogspot.com

Wlady disse...

oi Larissa! li a matéria e digo que concordo plenamente com você. Tem que preservar sim sua filhinha linda. tenho criança e posso falar que são mais ageis que nossos olhos. Não sabemos se quem está no supermercado ao nosso lado são pessoas do bem, então cabe a nós cuidar dos nossos amorzinhos. bjk

Mulher Multifacetada in disse...

Olá Larissa,
Vi a matéria do ig sobra sua casa, a matéria foi muito boa e contou td o que ja´conhecíamos no blog, mto legal, parabéns mais uma vez pela sua casa.
Quanto a polêmica sobre a coleira, tudo tem seus prós e contra, mas acho q o q mais vale é a segurança da sua filha. Mas como o assunto é polêmico mesmo e tratado de forma bastante polêmica na reportagem só poderia resultar em humores exaltado e comentários um tanto agressivos é normal. O que vale é fazer o que vc acha certo
bjos
Maysa

Inspire e Decore disse...

Lari ESTOU CONTIGO!

Um segundo pode ser uma VIDA!
Eu usaria SIM! Toda cautela com um pouco de diversão, tenho certeza as crianças curtem muito! Beijocas, Dy

Andrea Cristiane disse...

Oi Larissa, hoje li seu post e eu já lancei mão de usar uma guia prá andar com as minhas filhas quando eram pequeninas, alias tenho até hoje e irei passá-la para minha irmã que tem uma bebê com 1 e 7 meses e no auge da curiosidade dela e dos outros também. A guia é de pulso (16 anos atras) foi presente que ganhei da tia da minha filha que foi vitima de um safado quando estava fazendo feira, irei resumir: Ela estava na feira segurando a mão da filha e num segundo que soltou a mão prá pagar, veio um homem e agarrou a menina e saiu correndo, com toda a gritaria e corre corre, ele colocou a menina no chão e falou que ela era esperta e sumiu. Mas graças a Deus não levou a menina, depois do acontecido ela providenciou as guias, uma para ela e outra para mim. Eu super recomendo. Lembro-me que alguém na época disse a ela, "nossa parece cachorro!!" Ao que respondeu: não se preocupe já é vacinada.
As pessoas não tem noção do mundo tão sem amor que estamos vivendo, onde além das crianças se perderem dos pais, tem os pedófilos, os tarados e até quem venda os orgãos, sem contar também de rituais que prefiro nem comentar. Desculpe o post tão grande.

Maysa disse...

Olá Larissa,
gostei tanto da matéria do IG sobre a sua casa que fiz um post lá no meu blog, espero q não se importe. Passe depois para conferir.
bjos
Maysa - http://mulhermultifacetadain.blogspot.com/2011/03/top-3.html

Mamãe pela 2ª vez disse...

Olá meu nome é ADRIANA, conheci o blog procurando na net furadores de coroas.
Vu seguir tbm adorei o blog.

Gostaria que me desse uma ajuda, vou fazer a festa de minha filha no tema princesa preciso de um furador igual o seu, vc pode e dizer onde comprou, na net só achei um moça que tem já mandei vários emails e comentei no blog ela não responde.
Já agradeço a atenção.